Artigos

Valorização dos Colaboradores X Pacote de Benefícios

Melissa Almeida
Escrito por Melissa Almeida em 20/10/2020
Valorização dos Colaboradores X Pacote de Benefícios
Junte-se a mais de 200 empresas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Construir um ambiente de trabalho sadio, com funcionários satisfeitos e motivados pode ser o diferencial das empresas para reter seus talentos.

Sabemos que funcionários que se sentem valorizados tendem a entregar melhores resultados em menor tempo, ou seja, a empresa tem ganhos ao proporcionar que seus colaboradores se sintam considerados.

Faz parte do planejamento estratégico da empresa usar de meios que visem aumentar a produtividade, reter talentos e diminuir o turnover das organizações.

Isso sem contar com o fato de que as empresas são medidas pelos seus diferenciais não só pelos seus colaboradores, mas também pela sociedade, o que inclui seus clientes.

Já falamos várias vezes aqui sobre a importância de atentar para como os funcionários estão se sentindo dentro da empresa, se são ouvidos e valorizados. Uma das formas de valorar esse trabalho pode ser através do pacote de benefícios oferecido pela empresa.

Os benefícios podem ser descritos de duas formas, os obrigatórios e os não-obrigatórios.

Entre os obrigatórios citamos aqueles previstos em lei para o regime CLT, que são entre outros: FGTS, INSS, 13º salário, férias remuneradas e vale transporte. Esses são inquestionáveis e o empresário tem que ter capital de giro suficiente para cumprir com suas obrigações.

Quanto aos não-obrigatórios, os mais comuns são: plano de saúde e/ou odontológico, vale alimentação ou refeição, vale creche, bolsa de estudo, etc.

Para que estes benefícios façam parte de um pacote diferencial e motivacional na empresa, o ideal é que sejam definidos de acordo com o perfil da equipe.

Em algumas organizações são feitas pesquisas junto aos funcionários para verificar o que eles consideram mais importante ou interessante. Examine o que seria melhor oferecer em três categorias: assistência a demandas pessoais, melhorias nas condições profissionais, oportunidades adicionais.

Procure sempre acatar aqueles benefícios que sejam interessantes para a equipe, mas que garantam os resultados mais vantajosos para a empresa. Por exemplo: bolsa de estudo e treinamentos corporativos, os quais podem não só desenvolver o colaborador profissionalmente mas também garantir a ele novas metodologias e aumento do conhecimento.

Investir na saúde do funcionário, proporcionando acesso à rede de saúde (através de planos de saúde/odontológico) e academias, pode beneficiar tanto em saúde física quanto psicológica, o que previne o número de falta por doenças, por exemplo.

Incentivo à cultura (o qual pode ser descontado até 1% do IR devido), que favorece ao empregado comprar ingressos de cinemas, teatros, atividades culturais, compra de livros, demonstra preocupação com o bem estar também fora do ambiente de trabalho.

Também entre os benefícios não-obrigatórios podemos citar os horários flexíveis e políticas de premiações (a qual tem embasamento jurídico e prevê a não incorporação salarial). Essa realidade está cada dia mais próxima do trabalhador.

Existem várias possibilidades, o ideal é considerar o que será mais efetivo para agradar ao colaborador, desde o café oferecido pela empresa até acesso a vale farmácia.

Pense naquilo que sua empresa pode oferecer e cumprir, se atente ao que é relevante para seu grupo de colaboradores e usufrua dessa estratégia que será revertida em qualidade de trabalho e destaque no mercado em que está inserido.

Tem alguma dúvida? Nós te ajudaremos, envie uma mensagem no WhatsApp (49) 99817-3953 ou encaminhe um e-mail para: contato@centraldevagas.com

Deixe sua opinião nos comentários do post

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *